Durante todo o dia desta quarta-feira (3), o auditório do IFPI Central foi palco do 1º Seminário Municipal: “Mulher e Mundo do Trabalho: desafios da inclusão socioprodutiva”. O evento realizado pela Fundação Wall Ferraz e Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres, tinha como principal objetivo promover a discussão acerca dos programas de profissionalização, inclusão socioprodutiva e fortalecer as políticas de geração de trabalho e renda entre as mulheres no município.

A conferência de abertura discutiu os desafios históricos e atuais enfrentados pelas mulheres no mercado de trabalho e foi ministrada por Tauani Zampieri Cardoso, consultora do projeto Mulheres Resilientes, Cidades Resilientes, do PNUD. No segundo momento, foram apresentadas as Leis Municipais que tratam da relação mulher e mundo do trabalho, profissionalização e inclusão da mulher no mercado de trabalho em Teresina. A responsável pela apresentação foi a vereadora Teresinha Medeiros. A mesa redonda formada por representantes da FWF, SMPM, Semest, Semdec, Senai e IFPI vão abordou experiências de profissionalização e inclusão socioprodutiva de mulheres em Teresina.

Representando o prefeito Firmino Filho, o gestor da Fundação Municipal de Saúde, Charles da Silveira, destacou a importância das políticas públicas para inserção da mulher no mercado de trabalho. “Nós queremos uma sociedade transformada, onde as mulheres possam avançar e ocupar espaços de maneira igualitária. Aí entra o poder público possibilitando qualificação profissional, oficinas de conscientização, para que juntas, as mulheres possam construir um sentimento comunitário de ação”, afirmou.

 

Também foram realizados os workshops Mulher e Liderança no Mundo do Trabalho com Monique Menezes e Elisane Melo; Empreendedorismo entre as Mulheres com a empresária Silvia Meneses e Yolanda Amorim (SEBRAE), Educação Financeira com e Mulher no cenário da Ciência e Tecnologia com Ana Claudia Galvão e Luciana Farias. O evento também possibilitou que mulheres empreendedoras fortalecessem seus negócios através da exposição e comercialização de produtos artesanais.

 

Marilia Carvalho, estudante de Serviço Social e participante do Seminário, cita que a discussão acerca do tema mulher e mundo do trabalho merece ser cada vez mais inserida no cotidiano da sociedade. “É importante que esse assunto seja sempre pautado para que cada vez mais as mulheres tenham consciência do seu espaço em todas as esferas da sociedade”, diz.

 

“Foi um momento de articulação entre as diversas instituições que de alguma forma desenvolvem ações para promoção da mulher no mundo do trabalho. Nesta oportunidade tivemos um momento de troca de informação, formação e difusão da legislação local acerca do que já temos instituído legalmente para o acesso da mulher ao mercado de trabalho”, pontua a presidente da Fundação Wall Ferraz, Samara Pereira.

 

Segundo a gestora da SMPM, Macilane Gomes, o seminário foi pensado para refletir sobre os desafios da inclusão socioprodutiva das mulheres. “Em 2018, realizamos um diagnóstico sobre a violência contra a mulher em Teresina, que apontou que as mulheres se destacam na educação formal. No entanto, na inclusão no mercado de trabalho e na garantia da autonomia, a cidade ainda precisa avançar. Por isso, já pensamos ações que possam garantir essa inclusão e a superação da desigualdade de gênero para que as mulheres possam participar desse desenvolvimento econômico de maneira equânime, ocupando espaços de poder, que elas possam se qualificar escolhendo em que área e incluindo -se no mercado de trabalho também como superação da violência que vivenciam em âmbito doméstico”, apontou.

Desde 1997, a Fundação Wall Ferraz oferece cursos profissionalizantes gratuitos que garantem capacitação de qualidade para a população, principalmente jovens e adultos de baixa renda. Com o programa Profissionalizar Mulher, realizado em parceria com a SMPM, mais de mil mulheres já foram qualificadas para o mercado de trabalho. Os cursos oferecidos contemplam várias áreas de atuação, entre elas alimentação, artesanato, beleza e estética, confecção têxtil e fomentam a inserção no mercado de trabalho, inclusão socioprodutiva e geração de renda para as mulheres teresinenses.

 

 

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).